Notícias

Fecomércio luta por mais prazo para a Nota Fiscal ao Consumidor Eletrônica

Os impactos para a implantação da Nota Fiscal ao Consumidor Eletrônica (NFC-e) às micro e pequenas empresas do Estado estão na pauta da Fecomércio-RS. O presidente da Federação, Luiz Carlos Bohn, entregou no começo do mês ofício ao secretário da Fazenda do Estado, Giovani Feltes, e agora tem reunião na próxima semana com o subsecretário da Receita Estadual, Mário Luís Wunderlich, para tratar do assunto.

Segundo a Fecomércio-RS, no intuito de atender ao sistema da NFC-e, as microempresas (empresas com faturamento de até R$ 360.000,00) terão que realizar investimento considerável, pois necessitarão contratar fornecedor de software específico, trazendo implicações financeiras.

“Sabemos da importância da implantação do sistema, porém, por estarmos tratando de pequenos empreendedores, estamos diante de um alto investimento em um momento de dificuldades de caixa”, avalia Bohn, que ainda reforça que o gasto não se encerra com a contratação de software, já que necessariamente será realizado investimento para aquisição de acesso à internet, que, em alguns municípios do Rio Grande do Sul, funciona de maneira precária.

A proposta da Federação é de que o prazo seja prorrogado para janeiro de 2019 para as empresas com faturamento igual ou inferior a R$360.000,00, de forma a garantir que as microempresas possuam tempo hábil para adequação. A expectativa da entidade é de que a Receita Estadual atenda à solicitação, tendo em vista o impacto para os pequenos negócios.